qual a diferença entre portaria remota e virtual

Entenda a diferença entre portaria remota e portaria virtual

A garantia de segurança nos condomínios e a diminuição dos gastos operacionais têm feito com que a procura por novas tecnologias aumente. A portaria remota e a portaria virtual são exemplos dessas tecnologias. No entanto, além dos fatores de segurança e redução dos custos, a inovação contribui para a modernização do condomínio, que começa a seguir o desenvolvimento do setor imobiliário ao adotar as novas técnicas. Todavia, uma das dúvidas de síndicos e moradores é a respeito de qual a melhor solução para o condomínio deles, levando em conta que assaltos e furtos em prédios residenciais ocorrem devido a falhas humanas. A introdução de soluções tecnológicas para garantir a segurança dos condomínios está se tornando uma realidade e diante de tantas alternativas, é preciso saber qual é a mais adequada para o seu prédio. Os conceitos de portaria remota e virtual serão explicados detalhadamente no decorrer deste texto.

 O que é portaria remota e virtual?

Em primeiro lugar, ter mais informações sobre as inovações presentes no mercado de segurança para condomínios é essencial para dificultar atos criminosos e proteger as pessoas que moram no prédio. Por essa razão, antes de optar por qual tecnologia adotar, é essencial analisar todos os pontos, desde os gastos até as vantagens e desvantagens. contudo na organização do planejamento financeiro, é importante que o síndico observe os custos relacionados à necessidade de se manter profissionais de forma presencial. A quantia relacionada a encargos trabalhistas sobrecarrega o orçamento, pois, para a portaria presencial funcionar integralmente, é preciso ter de três a cinco funcionários. Sabendo o gasto atual, o síndico pode fazer a comparação com os custos da implementação de novas técnicas e verificar os pontos positivos que cada uma delas oferece. As novas tecnologias de segurança condominial envolvam o uso de automação na portaria, há algumas diferenças entre a remota e a virtual. O termo virtual, no que diz respeito à portaria, começou a ser usado pelas primeiras empresas a prestarem os serviços de controle de acesso e monitoramento por operador remoto. Em síntese, esse serviço foi resultado dos avanços de softwares e hardwares de segurança. Com o tempo, um trabalho semelhante a essa portaria surgiu, só que restrito ao controle de câmeras e alarmes. Além disso, alguns serviços deixavam o acesso ao condomínio a cargo dos moradores. Em suma, surgiram duas classificações dessa portaria: a virtual passiva e a virtual ativa. A virtual passiva não conta com gestão de acesso ou operadores remotos. Apenas funciona de forma automática e sem funcionários. A virtual ativa, também chamada de portaria remota, controla o acesso à distância, tem operadores remotos e monitoramento 24h.  

Como essas novas tecnologias funcionam?

Assim como a portaria remota, a virtual surgiu com um conceito simples: substituir os funcionários por agentes que, remotamente, controlarão o acesso ao condomínio, monitorando-o 24h por meio de internet e câmeras. Assim, com o desenvolvimento da tecnologia e da internet, essas inovações têm as condições essenciais para garantir a segurança em portaria de condomínios. Todavia, Isso resultou em mais efetividade e fortaleceu o sistema, fazendo com que ele se tornasse acessível aos prédios. No entanto, há algumas ferramentas que auxiliam um sistema de portaria, a fim de que ele realize a sua função plenamente:
  • Biometria, tags ou apps: usados para a entrada e saída de condôminos, permitem que os portões sejam acionados por digital, cartões, tags ou aplicativos com QR code;
  • Sistema de telefonia ou internet com redundância: como todo o contato entre condomínio e empresa é feito por meio da internet, é interessante ter uma alternativa caso haja problemas com a conexão;
  • Sistema de nobreak: é preciso ter um gerador ou nobreak para equipamentos de segurança e portões caso aconteçam quedas de energia;
  • Backup das imagens: com isso, se for necessário fazer alguma verificação, as imagens do cotidiano do prédio estarão armazenadas;
  • Acesso remoto aos portões: a falta disso impossibilita que o operador abra e feche garagens ou portões a distância;
  • Botão de pânico: nada mais é do que uma forma rápida de entrar em contato com a empresa, para que, havendo necessidade, ela acione a polícia. O morador pode pedir auxílio por meio da biometria cadastrada;
  • Câmeras IP’s: transmitem sons e imagens por meio da internet, facilitando o contato do condômino ou do visitante com o operador.

Processo de adaptação

Tudo o que é novo precisa de um tempo para ser introduzido, a fim de que as pessoas se acostumem com as transformações. Com essas novas formas de portaria não é diferente. Inegavelmente, adaptação do condomínio aos novos sistemas está ligada ao público e aos motivos que fizeram com que os moradores do prédio buscassem por essa alternativa. Se os condomínios forem divididos em algumas categorias, como construções novas e antigas, fica mais fácil de entender como se dá esse processo. Se houver pessoas que moram há muito tempo num condomínio que já é antigo, alguns fatores irão interferir na adaptação. Sobretudo, a relação de amizade entre os moradores e os porteiros, assim como a ideia de que o emprego de alguém está sendo tirado são itens que dificultam a aceitação das pessoas. Por outro lado, em construções novas, a adaptação acontece de forma rápida, mesmo porque, como o prédio é recente, as pessoas ficam mais abertas às novidades.

Benefícios proporcionados pelo serviço

Dentre as muitas vantagens que a automação na portaria oferece, é possível destacar segurança, economia, manutenção preventiva e corretiva, controle de prestadores de serviço e redução do passivo trabalhista. Primeiramente, o atendente remoto só permite a entrada de pessoas depois da devida identificação e permissão do morador. Como não é preciso ter tantos funcionários, há a diminuição dos custos. Contudo a utilização de equipamentos de controle de acesso e portões é frequente, as empresas têm que fazer manutenção. A entrada de prestadores é facilmente controlada e, já que a portaria não é mais administrada pelo condomínio, e sim por uma empresa, o síndico não precisa se preocupar com atrasos e faltas de funcionários.

Conheça o serviço da Folk Portaria Remota

O planejamento é essencial no caminho para aderir a uma portaria inteligente, assim como uma empresa pronta para oferecer o melhor serviço nesse segmento. A Folk Portaria Remota é especializada em portaria remota, preza pelo atendimento de qualidade e procura suprir as necessidades de cada condomínio. Sensor de dupla passagem veicular, ligação da central direta com o interfone do condômino, atendimento emergencial 24h e registro de visitantes com foto são alguns dos diferenciais da Folk. Por isso, se estiver pensando em melhorar a gestão do condomínio, conte com a empresa certa para que você tenha todas as vantagens dessa inovação.
Tags: No tags
0

Comments are closed.