vantagens da portaria remota

Entenda quais as vantagens e desvantagens da portaria remota

portaria remota, também chamada de portaria virtual ou inteligente é uma das soluções mais modernas e efetivas para reduzir custos e aumentar a segurança em condomínios. Entretanto, sua implementação demanda algumas mudanças e adaptações. Por isso, é comum haver dúvidas sobre a viabilidade desse sistema para portaria, que só pode ser determinada após uma análise cuidadosa de suas vantagens e desvantagens. Neste artigo, serão apresentados seus pontos positivos e negativos de forma clara e concisa.   

Portaria remota – Definição e aspectos

Em primeiro lugar é preciso que síndicos, zeladores e condôminos compreendam o que é a portaria remota e suas principais características para avaliar sua adequação ao prédio. A portaria inteligente pode ser definida como um sistema remoto que visa substituir os porteiros presenciais por profissionais situados não no prédio em si, mas em uma central a distância que permite a abertura e o fechamento dos portões.

TECNOLOGIA INDISPENSÁVEL

Dessa forma, a tecnologia é indispensável para que o sistema de portaria de condomínio funcione corretamente, uma vez que a identificação de visitantes, moradores, liberação de portões e demais entradas do edifício serão feitas por meio de dispositivos eletrônicos. Para clarificar o funcionamento da portaria inteligente, vamos analisar um exemplo prático: um visitante chega ao condomínio e toca o interfone. Quem irá atendê-lo é um profissional situado não no prédio, mas na central da portaria remota. Este profissional fará as perguntas de praxe, como o nome do visitante, nome do morador e número do apartamento para o qual ele se dirige. O porteiro, então, entrará em contato com o morador via interfone ou telefone celular e informará que há alguém esperando por ele.

Entrada de visitante

Se o morador autorizar a entrada do visitante, o porteiro, remotamente, abrirá o portão do edifício para que ele entre e fará um cadastro a fim de identificá-lo. Ao fazer isso, é possível também elaborar relatórios detalhados sobre quem entra e sai do prédio. Do contrário, caso o visitante não seja autorizado ou não tenha sido possível contatar o morador, o porteiro informará a ele a impossibilidade de acessar o edifício. Logo, a única diferença é que o porteiro não estará presencialmente no edifício, porém a prestação de serviços será a mesma, uma vez que, por meio da tecnologia, ele poderá abrir e fechar os portões que dão acesso ao prédio.

Quais são mais utilizados?

Há uma série de dispositivos que podem ser utilizados com o objetivo de possibilitar a atuação da portaria remota, assim, os mais aplicados são:
  • Tag de aproximação;
  • QR code;
  • Acesso biométrico;
  • Controle de garagem;
  • Cancelas e portões automáticos;
  • Sensores de passagem;
  • Câmeras de vigilância;
  • Sistema de pânico silencioso;
  • Internet.
Assim, para o acesso a pé de moradores, basta utilizar uma das três primeiras opções listadas e aproximar do leitor a tag (uma espécie de chave eletrônica) ou QR Code (normalmente acessado via celular) ou o dedo com a digital cadastrada para liberação do portão. Já para acessar as dependências do edifício de carro, são utilizados os controles de garagem que devem estar em posse dos moradores. Logo, basta apertar um botão para abrir os portões e cancelas automáticas do estacionamento. Os sensores de passagem, por sua vez, indicam aos porteiros situados a distância que o carro entrou ou saiu do edifício, o que também pode ser controlado e visualizado através das câmeras de segurança posicionadas estrategicamente em seus acessos.

Sistema de Pânico

O sistema de pânico silencioso é utilizado em situações de emergência e tem como principal objetivo acionar a polícia e demais forças de segurança caso seja identificada alguma anormalidade no edifício, porém de forma silenciosa para evitar situações de pânico. A internet, por seu turno, é essencial para que haja a transmissão das imagens captadas em tempo real pelas câmeras, bem como para contatar os porteiros e condôminos, acessar relatórios, acionar os alarmes, dentre outras ações.

Vantagens da Portaria Remota

Tendo ciência do que é e como funciona a portaria remota, é hora de compreender as principais vantagens usufruídas ao optar por esse sistema:
  • Maior economia, pois os gastos relacionados à contratação de pessoal, pagamento de encargos trabalhistas e salários são substituídos por uma taxa única e bem mais acessível a ser paga mensalmente à empresa prestadora de serviço;
  • Mais segurança, pois não é raro que os porteiros presenciais fiquem ausentes (para ir ao banheiro ou ajudar um morador, por exemplo) ou até durmam em serviço deixando o prédio vulnerável, o que não ocorre quando a portaria é remota;
  • Mais reconhecimento ao síndico que opta por implementar essa solução, pois é possível reduzir os encargos e repassar essa economia aos moradores por meio da redução das taxas e do valor do condomínio;
  • Maior controle na entrada e saída de pessoas e mercadorias, pois todos os visitantes são devidamente cadastrados e, posteriormente, listados em relatórios minuciosos, nos quais constam seus dados pessoais, além do dia e horário de sua visita;
  • Flexibilidade, pois é possível optar pelos dispositivos e metodologia de funcionamento adequados para cada edifício. Logo, não é difícil encontrar a solução mais viável para cada contexto;
  • Manutenção preventiva e corretiva prevista em contrato, assim, caso haja alguma intercorrência ou mau funcionamento de câmeras, portões, leitores e cancelas, basta contatar a empresa prestadora de serviços para agendar os reparos;
  • Botão de pânico silencioso, que, quando acionado pelo morador, envia uma mensagem diretamente à central de portaria, que poderá identificar o ocorrido e contatar a polícia. Ademais, como o porteiro não está presente, ele não pode ser rendido.

Desvantagens do sistema de portaria remota

Agora, vamos às possíveis desvantagens do sistema de portaria remota:
  • Adaptação dos moradores, que deverão ser bem informados pelo síndico e zelador do prédio para que acostumem com o fato de que os porteiros não estarão presentes no edifício, mas situados remotamente;
  • Adaptação do edifício, que deverá receber os dispositivos para viabilizar o trabalho dos porteiros remotos, como leitores, portões automáticos, cancelas e câmeras;
  • Maior dependência da internet, por isso, é recomendado que os edifícios possuam pelo menos duas linhas de internet, pois, caso uma delas falhe, é possível utilizar a outra e assim ficar sempre conectado à rede;
  • Caso o prédio não conte com zelador, será preciso contratar esse profissional, pois a portaria inteligente demanda um posicionamento mais ativo por parte dele, que deverá, por exemplo, acompanhar o recebimento de pacotes e encomendas;
  • Custos relacionados à rescisão de porteiros pré-contratados, já que será preciso dispensar esses profissionais e arcar com os encargos trabalhistas ligados ao processo de demissão sem justa causa.

É importante saber

Para que a implementação do sistema de portaria inteligente seja feita da melhor maneira possível, é essencial que haja uma boa comunicação entre o síndico e os moradores do edifício, pois estes devem ter total ciência de seu funcionamento, vantagens e desvantagens. Além disso, é preciso ter em mente que, apesar de não haver um porteiro presencial, há profissionais de carne e osso sempre prontos a atender os moradores e responsáveis pelo edifício, logo, não se está lidando apenas com “máquinas”, mas com pessoas reais. Por fim, é preciso optar por uma empresa experiente e bem estruturada para fornecer esse tipo de serviço, como a Folk Portaria Remota, a maior e mais especializada empresa de portaria inteligente. Hoje, a Folk Portaria Remota atende toda a região de Curitiba e cidades do entorno, além de Balneário Camboriú, mas seu objetivo é expandir as atividades para todas as regiões do Brasil, uma vez que ela possui excelente infraestrutura e profissionais treinados para sua aplicação.
Tags: No tags

Comments are closed.